sexta-feira, fevereiro 28, 2020
21.3 C
Rio de Janeiro
Início Mundo Vítimas sul-coreanas de trabalhos forçados podem receber indenização
- Publicidade -

Vítimas sul-coreanas de trabalhos forçados podem receber indenização

Parlamento coreano cria fundo para compensar 1,5 mil cidadãos

Mais Lidas

Operação Carnaval: Vigilância Sanitária contabiliza 254 inspeções no Sambódromo e vistorias em 99 blocos

Em quatro dias de atuação no Sambódromo, a Operação Carnaval da Subsecretaria de Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio realizou […] O...

Prefeitura utilizará sensores para agilizar ações preventivas em dias de chuva forte

A Prefeitura do Rio vai implementar uma nova solução para monitorar eventuais alagamentos no município. Para isso, por meio de […] O...

Vendas do Tesouro Direto caem 27,6% em janeiro

A venda de títulos públicos a pessoas físicas somou R$ 2,047 bilhões...
- Advertisement -

O presidente da Assembleia Nacional da Coreia do Sul, Moon Hee-sang, vai apresentar projeto de lei visando a criar um fundo de US$ 255 milhões destinado a compensar 1,5 mil sul-coreanos, que foram vítimas de trabalhos forçados no Japão durante a 2ª Guerra Mundial. A Assembleia Nacional constitui o poder legislativo unicameral do país asiático. O fundo será formado com contribuições de empresas, governos e cidadãos da Coreia do Sul e do Japão, informaram autoridades coreanas hoje (27). O objetivo da iniciativa parlamentar é dar uma solução para a questão, que já se transformou em um contencioso diplomático entre os dois países. 

A medida ocorreu em meio às expectativas de que Seul e Tóquio planejam intensificar os esforços para resolver o problema diplomático depois que a Coreia do Sul decidiu na semana passada “suspender” condicionalmente o término de seu pacto de compartilhamento de inteligência militar com o Japão. O pacto terminaria às 12h00 de sábado passado (23).

- Publicidade -

Moon apresentou pela primeira vez a ideia de criar um fundo com participação de empresas e cidadãos dos dois países para indenizar as vítimas sul-coreanas durante discurso em uma universidade em Tóquio no início deste mês.

As tensões diplomáticas entre Seul e Tóquio se intensificaram desde que o Japão impôs restrições à exportação para a Coreia do Sul em julho, em aparente retaliação pelas decisões da corte sul-coreana em favor da compensação de pessoas que sofreram punições com trabalho forçado durante a guerra.

Tóquio reagiu com extrema intolerância às decisões da justiça da Coreia do Sul de 2018, que ordenaram que as empresas japonesas compensassem as vítimas coreanas. O Japão informou que todas as questões de reparação relacionadas à colonização japonesa da Coreia no período de 1910 a 1945 foram resolvidas em um acordo de estado a estado em 1965 para normalizar os laços diplomáticos.

Segundo o projeto apresentado, uma fundação existente projetada para apoiar vítimas de trabalho forçado será aprimorada para que abranja também a compensação dos trabalhadores submetidos a trabalho forçado em tempo de guerra e das vítimas da escravidão sexual no Japão durante a guerra.

Fundo

O fundo será criado com contribuições voluntárias de empresas e pessoas dos dois países. Provavelmente, o fundo usará US$ 5,1 milhões que sobraram de uma fundação agora dissolvida e financiada pelo Japão sobre o uso da escravidão sexual em tempo de guerra por Tóquio.

A ideia de Moon segue o exemplo da compensação da Alemanha pelo trabalho forçado sob os nazistas. O país criou uma fundação em 2000 para compensar trabalhadores forçados com contribuições do governo federal e de 6.000 empresas.

Um grupo de vítimas de trabalho forçado permanece cético em relação à legislação proposta, insistindo que isso equivale a isentar o governo e as empresas japonesas da responsabilidade que devem assumir.

“Fornecer apoio financeiro que não implique desculpas pelo Japão não é uma solução fundamental para o problema”, disse um grupo cívico em apoio às mulheres vítimas de trabalho forçado.

O grupo também afirmou que a proposta do parlamentar poderia acabar como remissão pelas atrocidades passadas impostas pelo Japão. O grupo deseja sinceras desculpas do governo japonês.

“Denunciamos o projeto de Moon por conceder perdão ao ente que cometeu violações dos direitos humanos”, disse outro grupo de defesa em um comunicado. “Pedimos ao governo de Seul que resolva o problema em consideração às vítimas”.

- Publicidade -

Assine nossa Newsletter

Receba as priincipais notícias do Brasil e do Mundo em seu email

Falando Nisso...
Conteúdo Relacionado

- Publicidade -
-- Conteúdo Recomendado -
- Publicidade -

Mais Notícias
Conteúdo Relacionado

Disseminação de fake news sobre coronavírus preocupa especialistas

Desde o fim de janeiro, o serviço do Ministério da Saúde que combate...

Hora do Faro: Após 50 anos de espera, gêmeos sertanejos realizam sonho no quadro “Pronto Pra Fama”

Um time de famosos também participa de um desafio culinário que pode mudar a vida de um jovem empreendedor da Bahia.

TV Cultura reúne especialistas em seminário sobre arquivos audiovisuais na América Latina

A TV Cultura e a Federação Internacional dos Arquivos de Televisão, FIAT/IFTA, promovem o Seminário Regional Arquivos Audiovisuais na América Latina: acesso, valor e preservação, nos dias 19...

Caxias do Sul sediará Surdolimpíada no ano que vem

O Comitê Internacional de Esportes para Surdos (ICSD) confirmou nesta semana que...

Argentino Martín Benítez chega ao Rio para jogar no Vasco da Gama

Martín Benítez é o novo reforço vascaíno. O argentino de 25 anos...

TV Cultura reúne especialistas em seminário sobre arquivos audiovisuais na América Latina

A TV Cultura e a Federação Internacional dos Arquivos de Televisão, FIAT/IFTA, promovem o Seminário Regional Arquivos Audiovisuais na América Latina: acesso, valor e preservação, nos dias 19 e 20 de março, na sede da TV Cultura, em São Paulo. A mídia audiovisual domina a sociedade da informação e a televisão se destaca como...

Caxias do Sul sediará Surdolimpíada no ano que vem

O Comitê Internacional de Esportes para Surdos (ICSD) confirmou nesta semana que...

Argentino Martín Benítez chega ao Rio para jogar no Vasco da Gama

Martín Benítez é o novo reforço vascaíno. O argentino de 25 anos...

Acompanhe o boletim de saúde sobre coronavírus

A TV Brasil transmite o boletim mais recente de informações do Ministério da...

Dados de emprego em janeiro só serão divulgados em março

Principal indicador de criação de empregos com carteira assinada, o Cadastro Geral...

Quarta temporada de “Greg News com Gregório Duvivier” estreia em março

A quarta temporada de GREG NEWS COM GREGÓRIO DUVIVIER, programa que apresenta notícias do Brasil e do mundo de forma irreverente, estreia em...

SYFY exibe Padre

O SYFY exibe no dia 1 de março, domingo, às 21h15, o filme ‘Padre’. Dirigido por Scott Stewart (Os Escolhidos), a ficção científica é uma adaptação livre das...

Marcelo Crivella no Roda Viva nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (2/3), o Roda Viva entrevista o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. O programa, apresentado por Vera Magalhães, será exibido ao vivo, a...

Marcelo Crivella participa do programa Roda Viva

Nesta segunda-feira (2/3), o Roda Viva entrevista o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. O programa, apresentado por Vera Magalhães, será exibido ao vivo, a...

Os Travessos, Robson Bailarino e Gutto Soares falam sobre amor de Carnaval no Ritmo Brasil deste sábado

O Ritmo Brasil deste sábado (29), está muito especial e com um baita time de convidados. Faa Morena recebe o grupo Os Travessos,...
- Publicidade -