18.6 C
Rio de Janeiro
terça-feira, 25 de junho de 2019 9:2845
- Publicidade -

Polícia Federal e ANAC deflagram operação dédalo em SC, PR e SP

Órgãos realizam na manhã de hoje, ação de combate a crimes de perigo à aviação

- Publicidade -

As investigações se iniciaram em 2016, em razão de denúncia de irregularidades na manutenção de aeronaves e reportagens veiculadas pela imprensa à época, vinculando essas irregularidades a quedas de helicópteros. Após a instauração do inquérito policial, a PF, em conjunto com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), procedeu à inspeção na empresa investigada, em que foram apreendidos documentos, peças e aeronaves. Exames periciais e análise dos documentos, além de contatos com fabricantes e autoridades estrangeiras (EUA), comprovaram indícios de compra de aeronaves sinistradas (salvados), seu reparo além dos limites permitidos pelo fabricante, com utilização de registros supostamente fraudulentos ou com o aproveitamento de plaquetas e documentação para emprego em outras aeronaves, e falhas nos controles, colocando em risco a aviação civil.

Também ficou evidenciada a falsificação de documentos, a não-prestação ou prestação parcial ou dissimulada de informações aos órgãos de controle, com o objetivo de dificultar ou iludir a fiscalização do órgão, além de fraudes fiscais nos processos de importação de aeronaves.

- Advertisement -

Cerca de 50 Policiais Federais e 20 fiscais da ANAC participam diretamente da operação, realizada simultaneamente em três Estados da Federação (Santa Catarina, Paraná e São Paulo).

Foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão (3 em Joinville, 1 em Rio do Sul, 2 em Curitiba, 3 em Sorocaba e 1 em Birigüi), em oficinas, residências e empresas, incluindo 7 aeronaves sem condições de voo. Tais aeronaves possuem irregularidades documentais e estruturais que colocam em risco a aviação civil. Não houve prisões.

A operação foi nominada Dédalo que, na mitologia grega, ficou conhecido como um homem muito sábio e criativo, pai de Ícaro. Dédado fabricou asas de penas ligadas com cera para que ele e Ícaro pudessem voar e fugir do labirinto onde estavam presos. Mas na fuga, Ícaro  se aproximou muito do sol, a cera derreteu e ele caiu no mar. Da mesma forma, o uso de peças não adequadas em aeronaves pode provocar acidentes aéreos.

Por tais condutas, os investigados responderão pelos crimes de perigo à aviação (art.261, Código Penal); falsificação de documentos (art.297, CP); falsidade ideológica (art.299, CP); e sonegação fiscal (art.1º, Lei 8.137/90), cujas penas isoladas variam de 1 a 6 anos de reclusão.

Assine nossa Newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Últimas Notícias

Marvel relançará Vingadores: Ultimato para bater recorde de bilheteria

Haverão novas sessões nos EUA e o motivo dessa novidade são os US$ 43,5 milhões para alcançar a bilheteria de Avatar, até então o filme de maior bilheteria de todos os tempos.

Educação profissional pode ser uma saída para geração “nem-nem”

Quase um quarto dos jovens brasileiros (23%) nem estuda nem trabalha, segundo os novos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad contínua) sobre educação

Saiba tudo sobre o novo modelo de internação involuntária para dependentes químicos

Na semana em que se comemora o Dia Internacional de Combate às Drogas, assunto foi debatido pelo podcast Ilha de Vera Cruz

Como Inteligência Artificial pode ajudar os seres humanos?

Conheça exemplos onde a I.A. é utilizada, trazendo vantagens para a vida das pessoas

R$ 6 bi em impostos, empregos formais e vício: Conheça os desafios da legalização dos jogos de azar no Brasil

Apesar de ser proibido no Brasil há 77 anos, 20 milhões de brasileiros apostam diariamente no jogo do bicho

Arrecadação federal de maio chega a R$ 113,2 bilhões

Trata-se do melhor desempenho para o mês desde 2014

Sérgio Cabral vai ficar isolado em cela por 30 dias

Punição ocorre após processo disciplinar instaurado em 2017

Caso Providência: MPF pede que tenente volte a ser julgado na Justiça Federal

TFR2 julga nesta terça-feira (25) se revê envio de processo para Justiça Militar