- Publicidade -

Mercado reduz projeção de crescimento da economia para 2,5% em 2019

- Publicidade -

Instituições financeiras, consultadas pelo Banco Central (BC), reduziram a projeção para o crescimento da economia, neste ano e em 2020. A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – foi ajustada de 2,53% para 2,50%, em 2019.

Para o próximo ano, a expectativa caiu de 2,60% para 2,50%. Em 2021 e 2022, a projeção segue em 2,50%. Essas são as previsões de instituições financeiras consultadas pelo BC todas as semanas sobre os principais indicadores econômicos.

- Publicidade -

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve ficar em 4% este ano.

Na semana passada, a projeção para o IPCA estava em 4,01%. A estimativa segue abaixo da meta de inflação (4,25%), com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%, este ano.

Para 2020, a projeção para o IPCA segue em 4%, há 82 semanas seguidas. Para 2021 e 2022, a estimativa permanece em 3,75%.

A meta de inflação é 4%, em 2020, e 3,75%, em 2021, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

O BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano, para alcançar a meta da taxa inflacionária.

De acordo com o mercado financeiro, a Selic deve encerrar 2019 em 7% ao ano e continuar a subir em 2020, encerrando o período em 8% ao ano, permanecendo nesse patamar em 2021 e 2022.

O Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic para conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

A manutenção da taxa básica de juros indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,75 no final deste ano, e em R$ 3,78, no fim de 2020.

- Publicidade -

Falando Nisso...
Conteúdo Relacionado

Mais Notícias
Conteúdo recomendado para você

União estuda repasse para o Rio por unidades de saúde municipalizadas

O governo federal reconhece que ainda tem parte da dívida, mas equipes da pasta e do município estão analisando o valor que a União deve repassar ao longo do próximo ano.

Valdir Espinosa é apresentado como novo gerente de futebol do Botafogo

O novo gerente técnico prometeu muito trabalho e luta por um clube forte.

Horóscopo de domingo 15 de dezembro de 2019

Confira a previsão do horóscopo para o dia 15 de dezembro de 2019 e fique por dentro de tudo...

‘Carlinhos e Carlão’, com Luis Lobianco, tem pré no Festival do Rio

As sessões estão agendadas para 16 de dezembro (segunda-feira), no Cine Odeon NET Claro, e 17 (terça), no Cine Roxy e no Reserva Cultural de Niterói

Record TV apresenta a Retrospectiva dos Famosos

Marcos Mion e Mariana Weickert comandam a atração

Al Hilal vence e avança à semifinal contra o Flamengo no Mundial de Clubes

Atacante Gomis marcou o gol do jogo aos 27 minutos do segundo tempo

Horóscopo de sábado 14 de dezembro de 2019

Confira a previsão do horóscopo para o dia 14 de dezembro de 2019 e fique por dentro de tudo...

Vanderlei Luxemburgo não é mais o técnico do Vasco da Gama

Em breve, o Club de Regatas Vasco da Gama irá anunciar o nome do novo técnico.

Copa do Brasil 2020: sorteio define confrontos da Primeira Fase

Sorteio realizada na sede da CBF determinou confrontos da Primeira Fase e mando de campo da Segunda Fase da Copa do Brasil 2020