Marcelo Freixo e Marielle Franco Foto: Facebook / Reprodução
Marcelo Freixo e Marielle Franco Foto: Facebook / Reprodução

Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, o deputado Marcelo Freixo (PSOL) tinha data e hora marcados para morrer.

Investigações descobriram que milicianos planejavam executar o deputado Marcelo Freixo (PSOL).

- Publicidade -

Um relatório obtido pelo O Globo, mostra que  Freixo seria assassinado no próximo sábado durante um encontro com militantes e professores da rede particular de ensino, no sindicato da categoria, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.

O evento acabou sendo cancelado após a descoberta do plano dos milicianos.

Segundo informações contidas no documento conseguido pelo jornal O Globo, um PM e dois comerciantes são apontados como participantes do plano.

O três citados no documento tem envolvimento com um grupo de milicianos da Zona Oeste, investigado pela Divisão de Homicídios (DH) pelo assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes, ocorrido em 14 de março deste ano. Os suspeitos também possuem relação com controle de operações ilegais da máfia dos caça-níqueis e do jogo do bicho.

O relatório foi feito na quarta-feira (12) e policiais civis, militares, agentes da contrainteligência da Subsecretaria de Inteligência da  Secretaria de Segurança do Rio, além de promotores do Ministério Público estadual receberam cópias.

Deixe seu comentário