Henrique Meirelles
Henrique Meirelles

Henrique Meirelles (MDB) será o secretário de Fazenda e Planejamento no governo de João Doria (PSDB) no estado de São Paulo.

O anúncio será feito nesta terça-feira (11), no escritório político de Doria, na região dos Jardins.

- Publicidade -

O emedebista é o sexto ministro ou ex-ministro do presidente Michel Temer (MDB) a assumir uma vaga no primeiro escalão do governo tucano. Vigésimo e último secretário, ele fecha o primeiro escalão de Doria.

Já de olho em 2022, Doria busca escalar um time de ministeriáveis para se colocar como possível sucessor de Jair Bolsonaro (PSL). Meirelles é a estrela desse grupo.

Meirelles investiu mais de R$ 50 milhões do próprio bolso na campanha presidencial. Seu bordão “chama o Meirelles” ficou conhecido, mas ele obteve apenas 1,2% dos votos.

O chamado de Doria a Meirelles é para assumir uma vaga normalmente sem brilho político, num estado que tem as contas em situação relativamente confortável, em comparação com outras unidades da federação que penam para pagar o funcionalismo.

Meirelles também deverá ajudar Doria a arquitetar um plano de enxugamento da máquina estadual e um programa de concessões, além das PPPs do estado. 

Meirelles, 73, foi presidente do Banco Central de 2003 a 2010, na gestão presidencial de Lula. Em 2016, assumiu a Fazenda do governo Temer -posto que deixou em abril, para concorrer à Presidência. Ele também foi presidente do BankBoston.

Além de Meirelles, os nomes egressos da equipe de Temer anunciados por Doria são Gilberto Kassab (Casa Civil), Rossieli Soares (Educação), Sérgio Sá Leitão (Cultura), Alexandre Baldy (Transportes Metropolitanos) e Vinicius Lummertz (Turismo).

Deixe seu comentário