Leandro Castán tem contrato até o fim do ano que vem — Foto: Rafael Ribeiro / Vasco
Leandro Castán tem contrato até o fim do ano que vem — Foto: Rafael Ribeiro / Vasco

O Vasco da Gama pode perder uma de suas principais peças na luta contra o rebaixamento em 2018.

O zagueiro Leandro Castan está na mira do Corinthians, que já fez proposta de retorno ao jogador do cruzmaltino.

- Publicidade -

O pai de Leandro Castan e a diretoria do jogador tem encontro marcado para a próxima semana para tratar do futuro do atleta, que está insatisfeito com a frequência de salário atrasados no Vasco.

A diretoria do clube carioca tenta a todo custo manter o jogador e acena com uma contra proposta, oferecendo aumento no tempo de contrato, salário maior e benefícios.

Em contato por telefone com o GloboEsporte.com, o diretor-executivo de futebol do Cruz-Maltino, Alexandre Faria, disse que o clube não está disposto a liberar o defensor de graça. 

– O Leandro Castan é um cara sensacional, nosso capitão, apostamos nele e ele deu resultado. Teve problemas pessoais de saúde antes, na Europa, veio, correspondeu e é o nosso capitão. Ele tem contrato com o Vasco até o fim de 2019 e o Vasco não libera. Se pagarem… Mas ele tem contrato. É um cara sensacional. Sempre converso com o pai dele. Esperamos que 2019 seja ainda melhor – disse Alexandre Faria ao Globoesporte.com.

Caso Leandro Castan insista em deixar o Vasco da Gama a diretoria cruzmaltina pretende negociar diretamente com o Corinthians.

Segundo o site 90min, o Vasco até cogita liberar o defensor, mas pretende conseguir alguns jogadores em contrapartida. Segundo a publicação, a diretoria cruz-maltina já tem os nomes em pauta. 

O Vasco da Gama pensa em pedir o atacante Clayson e o zagueiro Marllon em troca da liberação de Castan.

A vinda de Clayson seria por empréstimo até o final da temporada e Marlon viria em definitivo. O negócio não deve ocorrer, pois o Corinthinas não quer desembolsar nenhuma quantia para ter Castan e também não deve liberar nenhum jogador, pois crê que vai conseguir o capitão vascaíno de graça.

Vale lembrar que Fifa proíbe assédio a jogadores com contrato vigente. O que está acontecendo no caso do Corinthians configuraria violação ao que está previsto no artigo 17.5. do Regulamento sobre o estatuto e transferência de jogadores da FIFA. Esse artigo proíbe o assédio a jogadores que estejam sob contrato em vigor.