Jaspion, personagem do seriado japonês homônimo - Reprodução
Jaspion, personagem do seriado japonês homônimo - Reprodução

Os fãs do Jaspion já podem guardar dinheiro. A editora JBC, focada em cultura japonesa, vai lançar em 2019 uma nova versão de mangá do herói que combatia os alienígenas malvados, em especial o temível Satan Goss.

A editora já conseguiu autorização para usar o nome do personagem e o roteiro será criado por Fabio Yabu e Michael Borges.

- Publicidade -


Nesta sexta-feira (7), durante um painel da Comic Con Experience, em São Paulo, a dupla de brasileiros contou como será o processo de criação das histórias.

“Não compensaria escrever algo que as pessoas já conhecem. Mas também é preciso respeitar a memória afetiva dos fãs. Não se brinca com as recordações de infância”, contou Yabu.


Jaspion surgiu no Japão em 1985 e foi exibido no Brasil entre 1988 e 1994. Até hoje lembrado por quem foi criança na época, abriu caminho para outros seriados do tipo, entre eles “Esquadrão Relâmpago Changeman”, “Jiraiya: O Incrível Ninja”, “Policial de Aço Jiban” e “Comando Estelar Flashman”.


Os japoneses também não brincam com um de seus heróis mais conhecidos. As histórias terão de passar pelo crivo da Toy, empresa que detém os direitos originais de Jaspion.


A JBC ainda não tem os detalhes da edição, como tipo de papel e modelo de capa, mas a ideia é que seja uma publicação luxuosa.

“Não será uma revista para bancas de jornal, isso nós já sabemos. Queríamos lançar em livrarias, mas elas estão fechando. Teremos de pensar em como vamos atingir o nosso público. Fato é que o digital será importante nesse processo”, explica Marcelo Del Grecco, editor da JBC.


A editora já pensa para o futuro. “Queremos fazer uma espécie de Vingadores com os heróis conhecidos japoneses. No entanto, queremos primeiro trabalhar o Jaspion com carinho e criar um mangá inesquecível”, diz Grecco.


Os “Vingadores” nipônicos já contam com um desfalque. Os Changeman, que inclusive iriam entrar nos mangás do Jaspion, foram adquiridos por outra empresa, e a JBC não poderá criar histórias com eles.