Gabriel Medina e Filipe Toledo disputam título mundial Imagem: WSL / STEVE SHERMAN
Gabriel Medina e Filipe Toledo disputam título mundial Imagem: WSL / STEVE SHERMAN

O Circuito Mundial de Surfe desembarca em Pipeline (Havaí) com a última etapa da temporada a partir deste sábado (8) -a janela vai até 20 de dezembro. São três candidatos ao título, entre eles dois brasileiros: Gabriel Medina e Filipe Toledo. Os dois vivem contrastes nas expectativas fora d´água mesmo dentro do Brasil.

Medina é o líder do ranking, principal favorito para a conquista e chega ao Havaí badalado. Na última quinta-feira (6), um vídeo publicado nas redes sociais lançou a hashtag #VaiMedina com mensagens de celebridades, entre elas Neymar, Gisele Bündchen, Cesar Cielo, Ronaldinho, Anitta, entre outros. “O Brasil inteiro está te esperando. Venha com a taça”, disse Pelé no vídeo.

- Publicidade -

O surfista de Maresias soma 56.190 pontos, contra 51.450 pontos tanto de Filipinho quanto do australiano Julian Wilson (o outro surfista na disputa), e só precisa chegar à final para conquistar seu segundo título, independentemente dos resultados dos outros dois concorrentes. Em 2014, ele se tornou o primeiro brasileiro a alcançar tal feito.

Se Medina parar na semifinal, Filipe e Julian precisam vencer em Pipeline. Caso o campeão de 2014 termine entre as quartas de final e a segunda fase, os outros dois surfistas garantem o título chegando na final.

O favoritismo e a badalação ao lado de Medina fizeram Filipinho chegar à última etapa sem grande alarde no Brasil. O surfista de Ubatuba liderou o ranking no melhor ano de sua carreira, venceu no Rio e em J-Bay (África do Sul), mas viu o rival assumir a ponta na corrida pelo título após dois resultados ruins nas últimas duas etapas, quando caiu logo na 3ª rodada.

O desafio para Filipe ainda passa pelos tubos. Especialista em aéreos, ele mostrou evolução em 2018 ao chegar à semifinal no Taiti, na onda tubular de Teahupoo, mas agora precisará ir além em Pipeline, onde os tubos valem mais pontos que as manobras. O melhor resultado dele lá foram as quartas de final em 2014.

Já Medina foi muito regular desde o início do ano e também venceu duas vezes (no Taiti e na piscina de ondas nos EUA), além de ter chegado a três semifinais e outras três quartas de final.

Nas últimas quatro etapas, venceu duas e chegou a duas semis, o que foi decisivo para liderar o ranking e ainda abrir vantagem para os outros concorrentes. Ele nunca ganhou em Pipe, mas já fez duas finais no Havaí.