Yago Pikachu
Yago Pikachu

O Vasco da Gama sacramentou sua permanência na Série A e já deu início em seu planejamento para que 2019 seja menos sofrido que este ano.

O problema é que o clube de São Januário deve ter trabalho para trazer reforços, já que as finanças do clube seguem combalidas e a guerra política são um ponto negativo para trazer peças fortes para a equipe.

- Publicidade -

Além de ter dificuldades para se reforçar, o Vasco da Gama também deve sofrer baixas importantes no time considerado titular uma vez que jogadores como Yago Pikachu e Andrey devem ser negociados. Outros jogadores importantes para o time também não devem seguir em São Januário, como Kelvin e Andrés Ríos.

Yago Pikachu,  artilheiro da equipe em 2018, foi o jogador que mais atuou, tendo disputado 59 partidas. Agenciado pelo empresário Carlos Leite, o atleta tem contrato com o Vasco até 2021, mas despertou o interesse clubes do Brasil, como Internacional, São Paulo e Corinthians e de equipes do exterior, como clubes do Japão e dos Estados Unidos.

Já Andrey, cria da base do Vasco e destaque do time no Brasileiro de 2019, vem sendo monitorado desde o meio do ano pelo futebol da Turquia.

Andrés Ríos, vice artilheiro do Gigante da Colina na temporada, atrás de Yago Pikachu, não foi procurado pela diretoria para renovar seu contrato e deve deixar o clube rumo ao Botafogo.

Kelvin, que está emprestado ao clube pelo Porto, de Portugal, é mais um jogador que não seguirá em São Januário, assim como Giovanni Augusto, que será devolvido ao Corinthians.

A mais emblemática saída do clube fica por conta de Martin Silva. O goleiro, ídolo de parte da torcida cruzmaltina também não deve seguir em São Januário e seu destino deve ser o São Paulo.

Com tantas baixas, o Vasco da Gama deve redobrar esforços para reforçar seu time e pensando nisso está tentando a contratação de duas peças chaves para a montagem do tim: Ricardo Rocha, que deixou o São Paulo, e Rodrigo Caetano, que já teve passagem pelo clube e é um sonho antigo de Alexandre Campello.