Bahia x Cruzeiro

Contando apenas com jogadores reservas, o Cruzeiro foi a Salvador enfrentar o Bahia neste domingo (2) e encerrou o Brasileirão com um empate sem gols.

Já garantido na Libertadores de 2019 via Copa do Brasil, a Raposa terminou o ano com 53 pontos na oitava colocação. Também com sua vaga assegurada na próxima Sul-Americana, o Bahia ficou em 11º com 48 pontos.

- Publicidade -

Com 15 minutos de jogo, as equipes já tinham finalizado por nove vezes, animando os torcedores presentes na tarde de chuva em Salvador. O Cruzeiro começou melhor. Raniel forçou o goleiro Anderson a fazer boa defesa no chute rasteiro. Pouco depois, Sassá limpou bem a marcação e acertou o pé da trave. O Bahia respondeu com Nilton, que aproveitou uma falha dentro da área, mas chutou mascado. No minuto seguinte, Rafael saiu mal e Edigar Junio cabeceou sozinho, mas por cima da meta.

O cenário do jogo, com as duas equipes praticamente cumprindo tabela, tornou a partida solta no Pituaçu. O Cruzeiro foi levemente melhor. Com destaques para Lucas Romero, Sassá e Raniel, a Raposa chegou com mais frequência ao gol adversário. O Bahia oscilou boas ações com momentos mais tímidos, mas criou suas melhores oportunidades quando avançou pelos lados do campo.

O Bahia voltou mais ligado do vestiário. Com três minutos, a arbitragem mandou seguir o lance que o Bahia pediu pênalti de Cacá em Flávio. O time da casa continuou melhor, mas pecou na hora de definir. Aos 17 minutos, Gilberto recebeu livre dentro da área, mas se enrolou com a bola e perdeu uma ótima oportunidade de marcar de frente para o goleiro Rafael.

Novamente, o jogo voltou a ficar equilibrado. Sassá recebeu em ótima condição, mas foi bloqueado pelo carrinho de Lucas Fonseca. A Raposa também assustou no desvio de David, que passou perto da trave. Sem gols, a partida caminhou para seu fim com boas chances para cada lado, mas com os dois times satisfeitos com o empate. 0 a 0 placar final.

Negociado com o Palmeiras, o meia Zé Rafael fez sua última partida com a camisa do Tricolor de Aço. Antes de a bola rolar, Anderson Talisca, revelado no Bahia e hoje no Guangzhou Evergrande, da China, entregou uma placa comemorativa ao jogador, além de uma camisa personalizada pelos 128 jogos realizados no clube. Em campo, Zé Rafael atuou até os 20 minutos do segundo tempo e saiu ovacionado pela torcida.

BAHIA

Anderson; Flávio, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Nilton, Élton, Ramires (Luiz Henrique, 26’2ºT), Zé Rafael (Clayton, 20’2ºT); Edigar Junio (Vinícius, 19’2ºT) e Gilberto.
T.: Enderson Moreira.

CRUZEIRO

Rafael; Ezequiel, Cacá, Manoel e Patrick Brey; Lucas Romero, Éderson e Lucas Silva; David (Alejandro, 43’2ºT), Raniel e Sassá (Laércio, 41’2ºT).
T.: Sidnei Lobo (auxiliar).

Árbitro: Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
Público: 27.776 pagantes
Cartões amarelos: Manoel, Douglas Grolli (CRU), Élton, Flávio, Luiz Henrique (BAH)