Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Casa Branca, em Washington 18/07/2018 REUTERS/Leah Millis

O presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou nesta terça (27) cortar subsídios para a GM, inclusive para os veículos elétricos, um dia depois de a montadora anunciar que planeja cortar até 15 mil empregos e encerrar a produção em várias fábricas nos EUA e no Canadá.

“Muito desapontado com a GM e sua presidente-executiva, Mary Barra, por fechar unidades em Ohio, Michigan e Maryland. Nada será fechado no México e na China. Os EUA salvaram a GM [há uma década, o governo americano resgatou a montadora], e é assim que nos agradecem!”, tuitou o republicano.

- Publicidade -

“Estamos estudando cortar todos os subsídios da GM, incluindo os de elétricos.”
Os consumidores americanos recebem um crédito tributário de até US$ 7.500 (R$ 29 mil) na aquisição de veículos elétricos. O subsídio é reduzido quando a montadora atinge a venda de 200 mil carros elegíveis -a GM está perto da marca e faz lobby para manter o benefício.

Na segunda-feira (26), a GM anunciou que pretende encerrar as atividades em sete unidades no mundo, cinco das quais na América do Norte (a montadora não revelou os países das demais), numa tentativa de se ajustar à redução na demanda por carros de passageiros.

As ações da GM fecharam em queda de 2,6%, após terem avançado quase 6% na véspera, em resposta ao anúncio do plano.