Moro, em evento em São Paulo 27/11/2017 REUTERS/Leonardo Benassatto
Moro, em evento em São Paulo 27/11/2017 REUTERS/Leonardo Benassatto

O juiz federal Sérgio Moro, anunciado por Jair Bolsonaro como ministro da Justiça e Segurança Pública de seu futuro governo, defendeu nesta terça-feira que o confronto policial não pode ser estratégia no combate ao crime organizado e se mostrou favorável à redução da maioridade penal apenas para crimes graves.

O magistrado, que deixará o comando da operação Lava Jato em Curitiba para assumir a pasta no governo Bolsonaro, afirmou também que, no caso de haver confronto policial, é preciso discutir a situação de agente da lei que mata um traficante armado. Embora, em sua opinião, a lei já contempla esse cenário.

- Publicidade -

Moro disse também que seria inconsistente com a plataforma eleitoral de Bolsonaro ir contra a flexibilização da posse de armas, mas afirmou que demonstrou ao presidente eleito sua preocupação de que uma flexibilização excessiva possa gerar fornecimento de armas a organizações criminosas.

(Por Laís Martins, em São Paulo)

Deixe seu comentário