24.4 C
Rio de Janeiro
terça-feira, 21 de maio de 2019 11:4331
- Publicidade -

Agora é lei: coleta seletiva precisará avançar em 10% a cada dois anos

- Publicidade -

Empresas que produzem, importam ou comercializam embalagens ou produtos embalados no estado do Rio de Janeiro serão obrigadas a financiar o sistema de logística reversa de embalagens e resíduos de embalagens. A determinação foi instituída pela Lei 8151/2018, de autoria do deputado Carlos Minc (PSB), sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão (MDB) e publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (05/11). Segundo a lei, as metas de coleta de seletiva devem crescer em no mínimo 10% a cada dois anos a partir de 2019.

A logística reversa trata do retorno de produtos, embalagens ou materiais ao seu centro produtivo. A nova lei assegura a obrigatoriedade de instalação de pontos de coleta seletiva destinados ao recebimento, controle e armazenamento temporário dos resíduos entregues pelos consumidores, até que esses materiais sejam transportados para o seu beneficiamento, reciclagem ou destinação final ambientalmente adequada.

- Advertisement -

A norma obriga que as empresas apresentem, em no máximo 180 dias, um plano de metas e investimentos bianuais para fomentar a instalação e manutenção de postos de entrega voluntária de material reciclável, e ainda criar unidades de triagem. As companhias que atuam no setor deverão também investir na capacitação, apoio técnico e operacional das cooperativas de catadores , além de viabilizar o pagamentos por serviços prestados.

Embora tenha avalizado a criação da lei, o governador Luiz Fernando Pezão vetou três artigos da proposta. De acordo com o chefe do Executivo estadual, não foi possível sancionar o artigo 7°, pois este contrariou a Política Nacional de Resíduos Sólidos ao estabelecer que as campanhas de conscientização ambiental deverão ser patrocinadas pelas empresas , na medida em que compete aos municípios a realização do serviço de limpeza pública. Já o artigo 9º não pode ser sancionado porque, segundo o governador, o texto não previu a necessidade da verificação de viabilidade técnica e econômica para a realização das metas de reciclagem, o que contradiz o disposto na lei que trata sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Pezão vetou ainda o artigo 16 argumentando que ele não especificava as punições a que estão sujeitos os infratores da nova lei. Segundo o governador, se aprovado, o trecho geraria insegurança jurídica.

Carlos Minc explicou que a nova lei visa a dar maior efetividade a aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal 12.305/10). “Queremos metas regionais para a reciclagem, envolvendo empresas e municípios, para coletar esse material e destiná-lo de forma correta. É um aperfeiçoamento e uma espécie de ‘cumpra-se’ da Lei Nacional de Resíduos Sólidos, que já tem oito anos. Infelizmente, os índices de reciclagem estão longe de serem satisfatórios”, reclamou.

Últimas Notícias

Três milhões de pessoas abandonaram a Venezuela desde 2015

Segundo o ACNUR, um total de 3,7 milhões de venezuelanos estão registrados no exterior, 700 mil deles emigraram antes de 2015.

Cristina Kirchner encara julgamento por corrupção em meio à campanha eleitoral

O caso diz respeito ao suposto favorecimento ao empresário Lázaro Báez, ligado à família Kirchner, na concessão de licitações de obras públicas.

Anistia Internacional denuncia que governo Bolsonaro ameaça os Direitos Humanos

O informe "Brasil para o mundo" expressa as preocupações da entidade após a chegada ao poder, em janeiro, de Bolsonaro

Prefeitura oferece mais vagas em cursos gratuitos na área da construção civil

Os interessados podem se candidatar em um dos Centros Municipais de Trabalho e Emprego, pelo site www.seconci-rio.com.br ou pelo telefone 2101-2565.

Kaká faz brincadeira e insinua que Corinthians é time pequeno

Ex-Jogador brincou sobre não ter jogado no Corinthians: ‘Escolhi só jogar em time grande’

Botafogo e DAZN promovem transmissão do jogo da Sul-Americana em telão

Jogo será transmitido em telão no Ginásio Oscar Zelaya, em General Severiano

Osmar Loss, ex-Corinthians, é o novo técnico do Vitória

O novo treinador já inicia os trabalhos à tarde.

Vasco da Gama: Luxa define nomes para deixar o clube e Ricardo Rocha ganha força

Para abrir espaço para a chegada das novas peças, o clube vai dispensar, ou negociar alguns jogadores que não serão aproveitados

Xavi encerra carreira em derrota do Al Sadd no Irã

O ex-capitão do Barcelona, que tem 39 anos, recebeu várias homenagens nesta segunda-feira por sua última partida.