O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, que participou da disputa presidencial deste ano, afirmou que ainda não decidiu se vai apoiar algum candidato no segundo turno das eleições. A declaração foi feita nesta quarta-feira (10) em uma entrevista à rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul.

Na avaliação de Meirelles, nem Jair Bolsonaro (PSL) e nem Fernando Haddad (PT) conseguiram apresentar propostas claras e concretas para os possíveis governos.

- Publicidade -

“De um lado o Fernando Haddad, que está sinalizando que pode adotar um perfil mais ao centro, por outro lado dizendo que vai seguir com o programa do PT, que não tem nada a ver com o programa do governo do Lula no primeiro mandato, tem mais a ver a recessão criada pela Dilma. Segundo, do outro lado está Bolsonaro. É um candidato que vai abrir a economia, diminuir o tamanho do Estado, mas por outro lado, já disse que é contra tirar o controle da Eletrobras do governo. Então, também não está claro o que eles querem”.

Meirelles foi o candidato que mais investiu recurso próprio na campanha. Ao todo, foram quase 54 milhões de reais gastos. Ao ser indagado durante a entrevista se valeu a pena ter gastado isso tudo, Meirelles foi firme ao afirmar que atingiu seu maior objetivo: mostrar suas propostas para um Brasil melhor e lembrar do legado que deixou para os brasileiros durante os anos em que trabalhou pelo país.

“É um recurso que ganhei honestamente, pagando imposto, transparente e tenho muito orgulho disso. Acredito que não há vergonha para ninguém trabalhar, honestamente e ser remunerado por isso, ganhando de acordo com os padrões internacionais e resolvi retribuir ao país usando isso para divulgar a minha mensagem ao Brasil”.

Henrique Meirelles também afirmou que espera que o próximo presidente da República adote as políticas econômicas corretas e coerentes para que o Brasil volte a crescer.
O MDB, partido ao qual Meirelles é filiado, também ainda não decidiu se vai apoiar Bolsonaro ou Haddad neste segundo turno do pleito.

Reportagem, Juliana Gonçalves

#Eleições2018