O PT resolveu abandonar o seu maior símbolo para tentar derrubar Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições 2018. Na busca por mais votos, a campanha do candidato à Presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, tenta se reinventar.

Leia Também: Jean Wyllys, reeleito deputado federal, vence Jair Bolsonaro na Justiça

Como Jair Bolsonaro aposta no nacionalismo e no patriotismo usando as cores da bandeira nacional, tendo inclusive pedido a seus eleitores que fossem às urnas vestindo a camisa da seleção brasileira, ou camisa amarela, o PT mudou o material gráfico do presidenciável e abandonou o vermelho, cor tradicional do partido.

- Publicidade -

No segundo turno, a campanha de Haddad passa a adotar as cores da bandeira nacional e não trará mais o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

PT muda de cor em campanha de Haddad - Diário Carioca
PT muda de cor em campanha de Haddad

 

O mote da campanha de Haddad passa a ser “Todos pelo Brasil”. A expectativa é passar ao eleitor o espírito da construção de uma frente democrática, contrapondo as propostas de Jair Bolsonaro.

 

Campanha de Bolsonaro já usava o verde e amarelo e fez PT mudar de Cor - Diário Carioca
Campanha de Bolsonaro já usava o verde e amarelo e fez PT mudar de Cor

Camilo Santana, governador reeleito no Ceará, declarou que a candidatura de Haddad “tem de se apresentar não como candidato simplesmente do PT” e que “se coloque como nome disposto a dialogar com todos os segmentos e unir o país”.

Vale lembrar que ao ser questionado sobre o diálogo com as Forças Armadas, Haddad disse que não usa emissários, pois ele próprio e a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), buscam o diálogo. Na conversa com o general Villas Bôas, o candidato afirmou ter “apreço” às Forças Armadas. “Não vamos ter um Brasil forte, sem defender os direitos do povo”, afirmou. “Ele [general Villas Bôas] compreendeu. “