A sexta-feira foi de trabalho para o Botafogo no Estádio Nilton Santos e também de coletiva de imprensa com o goleiro paraguaio Gatito Fernández. Fora de combate desde abril, quando fraturou o punho da mão direita na partida contra o Sport, pelo Campeonato Brasileiro, o goleiro vive um processo de recuperação diário. Gatito falou sobre sua atual situação, destacou seu máximo esforço para voltar ao gol do Botafogo e agradeceu em tom emocionado o apoio dos torcedores neste momento difícil em sua carreira.

– Estou passando por um processo um pouco complicado, sempre com um pouco de dor no punho que tive a lesão em abril. Estou treinando sempre como vocês podem ver, quase sempre em separado com o preparador de goleiros. Sempre treino com dor, algumas vezes menor e assim posso treinar com o grupo, mas quando a dor é mais forte eu volto a treinar com o treinador de goleiros. Estou muito ansioso e muitas vezes fico muito decepcionado comigo mesmo, quero fazer tudo, treinar, jogar, mas não consigo. Treinei cinco vezes com o grupo depois do jogo contra o Vitória, o que já foi um ganho muito grande, mas com esse acúmulo de treinos eu senti dores fortes novamente – disse Gatito.

- Publicidade -

Gatito teve também a oportunidade de falar aos torcedores do Botafogo e aproveitou para agradecer o apoio de todos durante sua recuperação.

– A mensagem que posso mandar aos torcedores é de agradecimento pelas mensagens que mandam para mim, que gostaria de estar jogando pelo Botafogo, um time que me abriu a porta e os torcedores abriram o coração, mas infelizmente não estou conseguindo. Estou dando tudo de mim, mas não estou conseguindo melhorar. Gostaria muito de ter jogado contra o Bahia, eu mais do que ninguém queria relembrar os bons momentos que tivemos, principalmente nos pênaltis, mas não pude. Gostaria de agradecer pelo apoio – disse o emocionado goleiro.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva do goleiro Gatito Fernández:

JOGO CONTRA O VASCO 

– Para esse será muito difícil poder estar em campo por causa disso, estou treinando em separado novamente. Os companheiros que estão jogando estão na minha frente.

JOGO CONTRA O BAHIA

– Assisti em casa esse jogo com muita vontade de estar. Fico feliz pelo Saulo, que está fazendo um grande trabalho. Entrou num momento difícil do clube, com muita pressão e acredito que está indo bem. Ele é um goleiro do clube, nasceu na base e acho importante o apoio da torcida para com ele também.

FORÇA AO GOLEIRO SAULO 

– Venho falando com ele e também com o Jefferson. Sempre tento passar para ele que precisa jogar com calma e que já demonstrou que pode ser o goleiro do Botafogo. Isso que passamos para ele.

ESPECIALISTA EM MÃO EM PUNHO FOI PROCURADO

– Procurei um especialista com os médicos do Botafogo e estou fazendo fisioterapia também em outro lugar. A fratura foi consolidada e hoje em dia tenho uma lesão ligamentar. Um pouco difícil por ainda continuar treinando e por ser goleiro, né. Não foi a pior lesão do futebol, mas também não foi a mais simples.

O CONTROLE NOS TREINAMENTOS

– Eu treino quase sempre em separado e podemos controlar o jeito que caio, o tempo que vou levantar, mas com o grupo isso não é possível. os jogadores não vão bater devagar. Já venho treinando com dor, uma dor que me limita a fazer os treinamentos.