Muitas pessoas sabem que a boa alimentação é fundamental para manter o peso adequado. Mas você sabia que o câncer de mama também pode ser prevenido comendo de forma saudável? Isso porque, o consumo de alimentos saudáveis ajuda na redução dos fatores de risco – que vão além da hereditariedade. É o que explica o tecnologista da área técnica de Alimentação e Nutrição do Instituto Nacional do Câncer, Fábio Carvalho.

Existe na população uma ideia de que o câncer é necessariamente hereditário. E a gente já sabe que é possível prevenir por meio de algumas atividades. Dentre elas, alimentação e nutrição. Por exemplo, a obesidade e o sobrepeso após a menopausa, a inatividade física e o consumo de bebida alcoólica são fatores de risco pro câncer de mama. E como fator de proteção então, a gente tem a manutenção do peso corporal adequado e a atividade física”.

- Publicidade -

De acordo com o INCA, cerca de um terço de todos os casos de câncer podem ser evitados com alimentação saudável e variada dando preferência ao consumo de frutas, verduras, cereais integrais e feijões, por exemplo. De acordo com Fábio, os alimentos funcionam como fator de proteção. Mas o tecnologista alerta: cuidado. Desconfie se alguém lhe passar uma receita de apenas um alimento capaz de curar ou prevenir o câncer.

“Não existe um alimento milagrosos pra prevenir qualquer tipo de câncer: seja o câncer de mama ou outro. Mas existem tipo de alimento que ajudam a prevenir – que a gente chama de alimentos in natura ou minimamente processados. E o que a gente recomenda evitar são os alimentos ultraprocessados – que contém muito sódio, açúcar e sal. Como exemplos de alimentos ultraprocessados, a gente pode colocar suco de caixinha, macarrão instantâneo, biscoitos…Esses alimentos devem ser evitados pensando na perspectiva tanto da prevenção de sobrepeso e obesidade, quanto da prevenção do câncer”.

Para lembrar a população brasileira da importância da prevenção do câncer, a cada ano o movimento “Outubro Rosa” chama a atenção para ações de prevenção – como alimentação e atividades físicas – e diagnóstico precoce. Em caso de alterações suspeitas na mama, busque o serviço de saúde para investigação.

Reportagem, Aline do Valle