Lenon conversou com a imprensa no CT das Vargens - Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
Lenon conversou com a imprensa no CT das Vargens - Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
O Vasco da Gama terá uma decisão logo em seu primeiro compromisso após o recesso para a Copa do Mundo. Na segunda-feira (16/07), às 20 horas, em São Januário, o Gigante da Colina mede forças com o Bahia pelo segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil precisando de um triunfo por quatro gols de diferença para seguir vivo na luta pelo bicampeonato da competição nacional.

A partida contra o Tricolor Baiano marcará a estreia do recém-contratado Lenon com a camisa cruzmaltina. Destaque do Guarani nas últimas temporadas, o lateral-direito vem sendo titular nas atividades comandadas pelo treinador Jorginho e chegou a figurar entre os 11 iniciais no jogo-treino contra a Portuguesa, disputado no final de semana passado em Pinheiral.
– A minha expectativa para a estreia é muito boa. Me preparei bastante durante os últimos dias e já me sinto bem adaptado ao grupo. Vou procurar dar o meu melhor, honrar essa camisa, jogar com bastante empenho. O resultado não é fácil de ser revertido, mas a torcida acredita e irá comparecer para nós incentivar. Não é impossível. Vamos em busca do resultado positivo e da classificação na Copa do Brasil – afirmou o lateral.
Por iniciar o confronto com uma desvantagem de três gols no placar, o Almirante será obrigado a ter uma postura ofensiva desde os primeiros minutos. Outra coisa que não pode faltar ao Gigante da Colina contra o Bahia é atitude. Em entrevista coletiva, Lenon citou por diversas vezes a importância da mesma e garantiu que o grupo fará o que estiver ao seu alcance para conquistar uma virada histórica.
– Jogaremos dentro de casa, diante da nossa torcida e precisamos vencer. Nossa postura tem que ser ofensiva. Reverter o placar de 3 a 0 é complicado, mas não impossível. Temos trabalhado para isso e já temos na cabeça o que precisamos fazer. É preciso que cada um de nós busque se superar. Não pode faltar atitude. Será indispensável tê-la se quisermos sair de campo com a classificação – concluiu Lenon.