in

Alexandre Campello prega união e não descarta Eto’o no Vasco

Alexandre Campello concedeu sua primeira entrevista coletiva como presidente eleito do Vasco da Gama. Na votação do Conselho Deliberativo, ele recebeu 154 votos, contra 88 de Julio Brant na noite desta sexta-feira, na sede náutica do Vasco, na Lagoa, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Campello, assim, será o presidente vascaíno até 2021, tendo Elói Ferreira como 1º vice-presidente geral e Sonia Maria Andrade dos Santos como 2º vice-presidente.

A coletiva de imprensa, realizada na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, serviu para que o médico apresentasse seus vice-presidentes fizesse a confirmação de Frederico Lopes como responsável pela pasta do futebol.

“Quem ganhou a eleição foi a união da oposição. Conseguimos trazer mais de 20 pontos percentuais. Fazemos parte da oposição desde sempre. Desde a eleição anterior. Existia resistência grande ao Brant”, disse Campello.

Campello também respondeu as acusações de Julio Brant, de que era um traidor e sobre o apoio de aliados de Eurico Miranda: “Se houve um traidor não fomos nós, foi a “Sempre Vasco, que esqueceu o que foi acordado, com decisões tomadas sempre após serem discutidas por um conselho gestor. Fomos isolados. Romperam com 54 conselheiros. Se não fosse eu, seria outro. Muito ruim ouvir “traidor”, ainda mais sendo oposição. Mas é um trabalho de mídia grande, tem uma militância grande na internet. São empresários por trás. Nossa campanha foi na base da ‘vaquinha'”,

Campello pediu a compreensão da torcida, o apoio e prometeu fazer uma gestão transparente durante seu triênio: “Queremos melhora a marca do Vasco, trazer o sócio para o clube. O verdadeiro vascaíno tem que abraçar a causa, contribuir, estar presente nos jogos para que possamos virar essa página. No futebol a resposta é dentro de campo. Vamos dar a resposta dentro da nossa gestão. Tenho três anos para provar isso, que não temos relação com essa gestão que acabou. O Vascaíno exigiu mudanças”.

Sobre o apoio que recebeu de Eurico Miranda, Alexandre Campello foi enfático e revelou que o ex-presidente não terá nenhuma participação em seu mandato.

“Estou há 30 anos no clube, conheço a maioria dos conselheiros. Se o Eurico surfou essa onda para devolver ao Julio, não tenho nada com isso. Sou oposição, mas respeito os poderes do clube. Não houve acordo com Eurico. Não tem e não terá nenhum membro.Os gritos de “Eurico”… existem vários euriquistas.”

Sobre o futebol, Alexandre Campello deixou claro que não pretende fazer grandes mudanças no começo da gestão e fez questão de tranquilizar os jogadores e a comissão técnica prometendo resolver os problemas de salários atrasados o mais breve possível.

“Quero tranquilizar o treinador e o elenco. Queremos colocar os salários em dia. Temos um jogo importante da Libertadores. Vamos dar totais condições. No futebol a resposta é dentro de campo. Vamos dar a resposta dentro da nossa gestão. Tenho três anos para provar isso, que não temos relação com essa gestão que acabou. O vascaíno exigiu mudanças”, disse o novo presidente.

O mandatário também falou sobre possíveis reforços para o time e disse que contratações vão acontecer. Campello inclusive não descartou a contratação do camaronês Samuel Eto’o, apontado como estopim para o rompimento entre ele e Julio Brant.

“Não sei. Se estiver disponível como disseram… Quem sabe. Está com 36 anos, não acho que deve trazer só pelo nome. Se estiver correndo bem, é um nome de peso. Quem sabe essa não pode ser a ajuda”, disse Alexandre Campello.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comentários

0 Comentários

Blocos buscam patrocínio para garantir desfiles no carnaval do Rio

Botafogo e Fluminense empatam em 0 x 0 pelo Carioca