25.2 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, 20 de maio de 2019 12:0452
- Publicidade -

Passeata para lembrar vítimas da ditadura no Chile acaba em confronto

- Publicidade -

Uma passeata que reuniu cerca de 5 mil pessoas neste domingo em Santiago para recordar as vítimas da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) terminou em violentos confrontos entre encapuzados e a polícia.

O protesto – convocado por organismos de direitos humanos e familiares de detidos e desaparecidos durante o regime militar – é realizado anualmente em torno do dia 11 de setembro, data do golpe liderado por Pinochet que derrubou o presidente socialista Salvador Allende, há 44 anos.

- Advertisement -

A manifestação terminou no cemitério geral de Santiago, onde encapuzados depredaram estações do metrô, uma clínica, agências bancárias e postos de gasolina, além de levantar barricadas.

A polícia, que montou um forte esquema de segurança em torno da passeata, dispersou os encapuzados com bombas de gás lacrimogêneo e jatos d’água.

Seis policiais ficaram feridos e 25 manifestantes foram detidos durante os distúrbios, informaram as autoridades.

A ditadura de Pinochet deixou 3.200 mortos e desaparecidos, além de 38 mil torturados, segundo números oficiais.

AFP

Últimas Notícias

Fãs se despedem de “Game of Thrones” entre euforia e decepções

O episódio final da série selou o destino de Daenerys Targaryen, Jon Snow, Tyrion Lannister, Sansa e Arya Stark

Janaina Paschoal volta a criticar manifestações pró-Bolsonaro: “O governo se colocou na situação em que está”

A deputada acusa Jair Bolsonaro de não ter barrado Rodrigo Maia, que acabou se reelegendo presidente da Câmara com o apoio do partido do presidente.

O fim da Android na Huawei, uma comoção para o mercado de “smartphones”

A disputa entre a Huawei e a Google representa uma advertência para os demais fabricantes chineses (Xiaomi, Oppo, OnePlus...).

Toni Kroos renova contrato com Real Madrid até 2023

O contrato de Kroos, 29 anos, terminava em 2022.

Inflação do aluguel acumula taxa de 7,78% em 12 meses, diz FGV

A queda da taxa da prévia de abril para a de maio foi puxada pelos preços no atacado, no varejo e na construção civil.

Google suspende parte de acesso da Huawei ao Android

Empresa chinesa está sob pressão de Washington

Aposentadoria de policiais e professores entra em discussão na Câmara

Audiências temáticas voltam a ocorrer em comissão especial