22.2 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, 22 de maio de 2019 6:1408
- Publicidade -

Governo britânico defende projeto de lei que converte leis da UE no pós-Brexit

- Publicidade -

O processo de saída do Reino Unido da União Europeia se tornará um caos caso os parlamentares não aprovem um projeto de lei destinado a estabelecer o quadro legislativo para o Brexit, disse o ministro responsável pelas negociações, David Davis.

Nesta segunda-feira, os parlamentares devem votar em um projeto de lei que visa converter cerca de 12 mil leis e regulamentos da UE em estatuto interno no dia em quero país sair do bloco, em março de 2019. A legislação é uma base fundamental nos planos do governo britânico de deixar o bloco comum após mais de quatro décadas de adesão.

- Advertisement -

Davis afirmou que “um voto contrário a esse projeto de lei é um foto a favor de uma saída caótica da União Europeia. O povo britânico não votou em confusão, tampouco o Parlamento”.

O governo do Reino Unido disse que o projeto de lei é necessário para evitar que um buraco legislativo se instale no dia em que o país deixar o bloco europeu. A proposta incorporará todas as leis da UE no código legislativo do Reino Unido para que elas possam ser mantidas, modificadas ou desfiguradas pelo Parlamento britânico. O governo disse, ainda, que irá cumprir a promessa de ativistas anti-UE para “recuperar o controle” de Bruxelas para Londres, como prometido no plebiscito do ano passado.

Críticos dizem que o projeto dá aos governos poderes preocupantes, já que permite aos ministros consertar “deficiências” na legislação da UE sem o exame parlamentar geralmente necessário para alterar leis. Tais poderes são, muitas vezes, referidos como “poderes de Henrique VIII”, após a tentativa do monarca de legislar por proclamação.

Os opositores se preocupam de que o governo conservador possa usar esses poderes para reduzir padrões ambientais, regulamentos de emprego ou proteção de direitos humanos. O principal partido de oposição, o Trabalhista, disse que irá votar contra a proposta. No entanto, é esperado que o projeto seja aprovado, a não ser se legisladores governistas a favor da UE se rebelarem e votarem contra. Fonte: Associated Press.

Últimas Notícias

“Chega” de homofobia no futebol, pede Antoine Griezmann

"A homofobia não é uma opinião, é um crime", disse o atacante

Vasco da Gama chega a dois meses de salários atrasados e jogadores podem sair

O receio da diretoria é de perder peças importantes por conta da insatisfação com a situação a qual o clube chegou.

Caças dos EUA interceptam bombardeiros russos na costa do Alasca

A esquadra russa incluía dois bombardeiros estratégicos Tu-95, que foram interceptados na segunda-feira por dois caças F-22

Apenas 38,7% das vagas do Fies foram preenchidas no primeiro semestre

Das 100 mil vagas ofertadas, foram assinados 38.793 contratos

Embratur tem seu terceiro presidente em pouco menos de seis meses no governo Bolsonaro

Gilson Machado teve sua nomeação para o cargo publicada no Diário Oficial da União desta terça

Adidas, Puma e Nike consideram novas tarifas à China catastróficas

Trump elevou a 25% as tarifas já existentes sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses

Fitch mantém nota de classificação de risco do Brasil

A agência manteve a perspectiva estável para o país, indicando que a classificação não deve ser alterada nos próximos meses.

Termina primeira audiência do julgamento de Cristina Kirchner

A audiência de hoje foi a primeira de um processo que deve durar o ano todo

Caixa começa a chamar candidatos aprovados no concurso de 2014

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que as contratações têm por objetivo o fortalecimento da rede de agências, valorizando o atendimento aos clientes.