26.8 C
Rio de Janeiro
sábado, 20 de julho de 2019 7:0513
- Publicidade -

Mercosul pede restabelecimento da ordem institucional e diálogo na Venezuela

Os Estados-membros do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) e mais a Colômbia, o Chile, a Guiana e o México, reunidos na cúpula de chefes de Estado do bloco, que acontece na cidade argentina de Mendoza, pediram nesta sexta-feira (21) à Venezuela o restabelecimento da ordem institucional e de um diálogo entre a oposição e o governo de Nicolás Maduro. A informação é da agência EFE.

Numa declaração conjunta, os países reiteraram sua “profunda preocupação com o agravamento da crise política, social e humanitária” na Venezuela, fazendo “um apelo urgente pelo fim da violência no país e pela libertação de todos os detidos por razões políticas”.

- Advertisement -

Os países signatários da declaração exigem o restabelecimento “da ordem institucional, a vigência do Estado de direito e a separação de poderes, dentro do pleno respeito às garantias constitucionais e aos direitos humanos”. As nações pediram ainda ao governo e à oposição da Venezuela que “não tomem nenhuma iniciativa que possa dividir ainda mais a sociedade venezuelana e agravar conflitos institucionais”.

“Convencidos de que a solução para a crise só poderá ser resolvida pelos próprios venezuelanos, (os países signatários da declaração do Mercosul) pedem diálogo ao governo e às forças opositoras da irmã República Bolivariana da Venezuela,que permita um arranjo político crível”, diz o texto.

Finalmente, os países reiteraram “sua plena disposição para conduzir esse processo de diálogo entre os venezuelanos da maneira que seus atores considerarem mais conveniente”. A reunião de cúpula envolveu os integrantes do Mercosul, Estados Associados, México e convidados especiais.

A declaração só não foi assinada por alguns dos países que participaram do encontro, como a Bolívia, o Equador e o Suriname.

Desde 1º de abril, a Venezuela vive uma onda de manifestações a favor e contra o governo, muitas delas violentas e que já deixaram cerca de 100 mortos e mais de mil feridos. O governo Maduro convocou para o dia 30 de julho as eleições para a formação de uma Assembleia Nacional Constituinte, à qual se opõe a oposição. A iniciativa também é criticada pelo Mercosul, bloco do qual a Venezuela também faz parte mas está suspensa por conta dos conflitos políticos.

 

Da Agência Brasil

Assine nossa Newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Últimas Notícias

Vasco da Gama vence o Fluminense de virada em São Januário lotado, veja os gols

Na abertura da 11ª rodada, Cruzmaltino leva a melhor no clássico carioca, vence por 2 a 1 e se afasta da zona de rebaixamento

Polícia localiza cemitério clandestino usado por milícia em Queimados

Eles teriam sido assassinados pelo grupo criminoso Caçadores de Ganso

Liesa define ordem do desfile de escolas de samba no carnaval do Rio

Ao todo, 13 escolas vão desfilam no Grupo Especial em 2020

Ex-goleiro Bruno sai da prisão e vai para regime semiaberto

Ele foi condenado a 20 anos pelo homicídio de Elisa Samudio

Silvio Santos recebe o craque Neymar

O “Programa Silvio Santos” deste domingo, 21 de julho, recebe a visita especial do jogador Neymar.

Etiene Medeiros foca nos 50 metros costas e livre no Mundial de Natação

Tricampeã do mundo nos 50 metros costas, nadadora brasileira concentra seus esforços nas provas mais velozes em função da disputa dos Jogos Pan-Americanos do Peru