Um dos grandes sucessos do Pop nacional, Karol Ka, dona de hits como “Selfie Colado” e “Pedra Preciosa” vive um dos melhores momentos de sua carreira.

Apontada como nova Diva Pop da música nacional, a cantora e compositora já experimentou diversos gêneros musicais, mas é realmente no pop que se sente mais à vontade e de onde sai sua inspiração.

- Publicidade -

“Eu não tenho nenhuma fórmula para criar algo. É um dom natural. As letras, melodias e ideias aparecem na minha mente do nada. Não é algo programado, ou pensado. As ideias surgem na minha mente e aí começo a planejar tudo. As situações do nosso cotidiano me ajudam a ter ideias”, conta a cantora.

Antenada e por dentro do que rola nas paradas de sucesso mundo à fora, Karol tem em Michael Jackson sua maior influência, mas também admira e observa outras estrelas, como Beyoncé que influenciam seu trabalho.

“Gosto muito das cantoras internacionais. Procuro me inspirar nos melhores. Minha maior influência sempre foi o Michael Jackson. Desde minha infância que só escuto ele. Suas performances me deixa impactada até hoje. Ele é minha grande inspiração artística. Postura no palco, voz, coreografia, efeitos, dança, bale, figurino. Clipes… Enfim tudo. Ele é o rei do pop. E a cantora que mais amo e sou fã é nossa rainha Beyoncé. Que também se inspira no Michael”, revela.

Apesar de já ter tido sua carreira ligada ao funk, Karol conta que sua carreira sempre foi baseada no pop, mas não nega ter uma vertente inspirada no funk melody: ”Eu sempre fui uma cantora pop. O pop engloba TUDO. Música popular é o que eu faço. O funk melody é um estilo que me atrai muito pela sua força e originalidade. Cantar funk melody é muito diferente de ser uma funkeira. O importante pra mim é fazer música, independente de estilo ou rótulos. Sempre cantei de tudo. Funk, sertanejo, forró. Não importa o estilo. Só quero poder cantar”, desabafa Karol.

Fazendo vários shows por mês, Karol, que toca bateria e violão, faz questão de exaltar sua paixão pelos palcos, mas ainda assim, não dispensa o contato com o estúdio e com a produção de seus trabalhos.

“Hoje em dia o mercado está muito competitivo. Você precisa estar inteirado em tudo. Tenho uma vasta experiência nos dois. Estúdio é minha casa, onde componho e gravo minhas ideias. Onde esqueço de todos os problemas e só penso em fazer algo que emocione. E o palco é onde exponho tudo que preparamos. Onde estamos em contato com o público. Um momento mágico. Amo os 2 lugares. São essenciais na minha vida”, diz.

Sempre interagindo nas redes sociais, Karol Ka sabe que a interação da internet trouxe mais proximidade dos fãs com seus ídolos, mas que por outro lado, a pirataria, um dos maiores vilões para a queda do mercado fonográfico como conhecíamos anos atrás também cresceu muito com a facilidade de downloads.

“Vivemos hoje de show e execuções em rádios e programas de TV. O CD físico, em sí, infelizmente não nos dá mais retorno. Muita pirataria. Infelizmente”, comenta a artista.

Por conta de suas música radiofônicas e sua postura cheia de atitude, Karol já é chamada por fãs e mídia de Diva Pop. Ao ser perguntada se o título a incomoda, a cantora prefere deixar os rótulos para seus admiradores: “Eu acho que os fãs são as melhores pessoas para responder isso. Eu trabalho muito para fazer um trabalho impecável e bonito de se ver. Adoro dançar e fazer performances. Isso faz parte de mim. Mas preciso admitir que adoro quando me chamam de diva (risos).”

Com exposição em países da América do Sul, Karol faz sucesso internacional e é muito admirada na Argentina, por exemplo. Mas a cantora pensa em expandir muito mais o alcance de seu trabalho e sonha com uma consolidada carreira internacional.

“Quero levar a música brasileira e a força do nosso povo para fora. Para que outros países vejam que também somos capazes. Meu grande sonho é esse. Alcançar todo mundo com minha voz”, explica.

Figura fácil em diversos realities shows da TV, Karol Ka não esconde e muito menos renega suas passagens pelos programas, ao contrário, a cantora expõe com facilidade o que conseguiu com suas participações: “Em primeiro lugar muita exposição. E em segundo lugar muita experiência. Em cada reality aprendi algo e conheci alguém. Muitas emoções. Acho que vida tem que ser vivida intensamente. Sem perder oportunidades. Tudo é válido. Se não mata, fortalece.”

- Recomendado para Você -